Sinais dos Tempos e a “Marca” da Besta

 

Muitos sabem da minha contestação aos sinais da vinda de Jesus (para a igreja): Guerras, pestes, fomes, terremotos e outras catástrofes naturais.

Como expliquei amplamente noutro post, estes não são, absolutamente, sinais à igreja, da vinda de Jesus.

Todavia, Ele [Jesus] deu dica de que alguns sabem discernir os sinais DOS TEMPOS. Isso está amplamente ligado ao dom de profeta, o que não tem nada a ver com o dom de profecia, mas isso é outro tema.

“Hipócritas, sabeis discernir a face da terra e do céu; como não sabeis então discernir este tempo? Lucas 12:56

Destaco, para o que passo a refletir, mais alguns versículos da palavra de Deus:

Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora. 1 João 2:18

[…] mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já agora está no mundo. 1 João 4:3

Muitos, em nossos dias, estão preocupados com a marca da besta, o chip da Mondex, etc. Na década de 90, quando me converti, a marca seria o código de barras (Precisa dizer que não será?).

Por sua misericórdia e graça infinita, o Espírito Santo me tem dado luz sobre as escrituras e posso lhe afirmar, com toda segurança do mundo que nada disso, nem algo parecido que se possa instalar no corpo físico do homem, será a marca da Besta. E tenho tanta certeza que, se alguém quiser, pode instalar o chip em mim.

Conheço muito bem o versículo de Apocalipse 13:16, que afirma que as pessoas serão marcadas na testa ou na mão direita. Mas, lhes garanto que essa “marca” não é física.

Não vou explicar aqui. Se um dia, alguma igreja, através de sua liderança, quiser me ouvir sobre o assunto poderei expor e depois me sentar para ouvir quem quiser contestar.

Mas peço que reflitam algo: Ter a marca da Besta é condição de não haver mais possibilidade de perdão. Essa é a chave para a compreensão de que “tipo” é a marca.

“E a fumaça do seu tormento sobe para todo o sempre; e não têm repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome.” Apocalipse 14:11

Então, alguns adorarão a Besta, mas não receberão o sinal? Interessante…

Eis dois versículos que afirmam porque não são perdoados, os tais:

E não se arrependeram dos seus homicídios, nem das suas feitiçarias, nem da sua fornicação, nem dos seus furtos. Apocalipse 9:21

E os homens foram abrasados com grandes calores, e blasfemaram o nome de Deus, que tem poder sobre estas pragas; e não se arrependeram para lhe darem glória. Apocalipse 16:9

Aí está revelado o que é a marca, mas quem tem ouvidos ouça. Não vou afirmar aqui.

Alegorias, alegorias…

E afirmo mais: Assim como João disse que o espírito do Anticristo está no mundo, e deu algumas dicas para identifica-lo, eu lhes afirmo que a marca da besta também está no mundo e, em nossos dias é possível identificá-la, pois está “visível” àqueles que forem capazes de discernir os SINAIS DESSE TEMPO.

Isso sim pode indicar a iminente manifestação do Anticristo e, consequentemente, o Arrebatamento.


F. Haroldo de Sousa
Servo de Deus, Estudante das Escrituras, Presbítero, Professor da Escola Dominical, Advogado.
Anúncios

Quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo – Mt 24.3b

Solar-Eclipse-2As três respostas, a estas três perguntas feitas a Jesus, tem sido objeto de muitas especulações oportunistas e de interpretações equivocadas.

Consequentemente, o tema tem resultado em uma doutrina equivocada em meio aos cristãos: Sinais (à igreja) que precederiam a vinda de Jesus, o arrebatamento.

Preliminarmente, consideremos o que a Bíblia diz a respeito da igreja: “Não estais em trevas para que aquele dia, como ladrão, vos surpreenda” (1Ts 5.4).

Apesar de não saber dia e hora, isso não significa que estamos distraídos e que a volta de Jesus, bem como seus resultados seja uma surpresa para nós, a igreja, pois não “perderemos” nada. O dia não será para nós como um ladrão.

Se formos cristãos atentos à palavra, então, estaremos SEMPRE preparados para esse momento: “Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.” Lucas 12:43

Em segundo lugar, a Bíblia diz: “daquele dia e hora ninguém sabe” (Mt 24.36). Ninguém!! Qualquer tentativa de prever não passará de soberba e heresia, loucura e engano. Todos os que tentaram predizer a data da vinda do Senhor ou do fim do mundo caíram em vergonha e descrédito porque a afirmação de Jesus é inconfundível.

Mas, e o texto de Mateus 24, como fica?

Consideremos que o escritor sacro registra três perguntas feitas pelos discípulos e registra as três respostas de maneira nem tão ordenada cronologicamente, porque, na sua mente tratava-se de um evento só.

Todavia, a devida interpretação bíblica, escatológica e histórica, nos permite, hoje, saber que são três eventos distintos, conforme veremos:

Estas coisas: A destruição de Jerusalém predita pelo Senhor (70 depois de Cristo):

Mateus 24:15-22:

Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, entenda; Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes;

E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa; E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.

Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!
E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado; Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver.

E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias.

Como algumas outras profecias bíblicas, essa tem duplo cumprimento (Ocorreu em precedência à destruição de Jerusalém – Em 167 A.C, Antióquio Epifanes fez um altar a Zeus sobre o altar do holocaustos, no templo de Deus, e ofereceu um porco no altar –  e ocorrerá nos dias do Anticristo, o qual se levantará contra tudo que se chama Deus e proferirá grandes blasfêmias.

“Se aqueles dias não fossem abreviados” (Jerusalém ficou cercada por dois anos e ficará em aflição por quase 3,5 anos).  TUDO ISSO OCORRERÁ, NOUTRAS DIMENSÕES, NOS DIAS DA TRIBULAÇÃO.

Mt 23:34-39

Portanto, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas; a uns deles matareis e crucificareis; e a outros deles açoitareis nas vossas sinagogas e os perseguireis de cidade em cidade (A Igreja Primitiva antes da destruição de Jerusalém – Paulo foi um que perseguiu a igreja de cidade em cidade);

Para que sobre vós caia todo o sangue justo, que foi derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, que matastes entre o santuário e o altar.

Em verdade vos digo que todas estas coisas hão de vir sobre esta geração.

Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que te são enviados! quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta os seus pintos debaixo das asas, e tu não quiseste!

“Eis que a vossa casa vai ficar-vos deserta; Porque eu vos digo que desde agora me não vereis mais, até que digais: Bendito o que vem em nome do Senhor.”

ATÉ AQUI CLARO QUE ESTES TEXTOS SE REFEREM A JERUSALÉM E QUE “ESSAS COISAS” À SUA DESTRUIÇÃO?
Sobre o período da igreja (Não sinais de sua vinda):

Mateus 24:4-13

E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo (Maomé, Alan Kardec, etc); e enganarão a muitos.

E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim.

Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores.

Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome.

Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão.

E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.

Não há Sinal para o arrebatamentoISSO TUDO QUER DIZER, APENAS, QUE A HISTÓRIA HUMANA CONTINUARIA DEPOIS DA ASSUNÇÃO DE CRISTO AOS CÉUS.

Guerra, rumores de guerras, terremotos e pestes sempre ocorreram. OS DISCÍPULOS TERIAM QUE ENFRENTAR TODA ESSA REALIDADE DE QUE JESUS NÃO VOLTARIA NOS SEUS DIAS, COMO PENSAVAM.

Como teremos fome como sinal, se em tantas oportunidades da história, como nos anos 80, ela matou milhões na África?

Como teremos guerra como sinal, se apenas a 1ª Guerra Mundial e a fome após ela dizimaram cerca de um terço da população da época?

Como teremos, hoje, terremotos como sinal, pois, se  no último dia 19 de setembro de 2017 morreram cerca de 300 pessoas, mas, há exatos 32 anos, outro matou mais de 10 mil e houve outros piores na história (vide ao final)? Quando seria o sinal? Agora quando morreram 300 ou aquele de 32 anos atrás, quando morreram 10 mil?

Como teremos peste como sinal, se a peste negra e sua variante a peste bubônica mataram 2/3 da Europa e parecia que extinguiria a humanidade?

Como um evento desses seria sinal hoje?

Talvez só ocorram semelhantes na própria grande tribulação.

 

O fim do mundo:

Mateus 24:14

E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim. (Isso após o milênio, não se sabe quantos anos – Apocalipse fala que “Satanás será solto por um pouco de tempo…”). O que será um pouco de tempo para Deus?

 

A vinda de Jesus, para a igreja (O arrebatamento):

Mateus 24:23-28

Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito;

Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

Eis que eu vo-lo tenho predito.

Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais. Eis que ele está no interior da casa; não acrediteis.

Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do homem. Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias (O Arrebatamento).

 

A vinda de Jesus, para Israel – Na Tribulação:

Mateus 24:29-34

E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas (Esses sinais são para Israel do pós-arrebatamento).

PELO AMOR DE DEUS, NÃO COMPARTILHEM ESSAS NOTÍCIAS DE SINAIS QUE ANTECEDEM O ARREBATAMENTO.

Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.

E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.
Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.

Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.
Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam (Qual geração que verá os sinais na natureza? R= A geração da tribulação).

Jesus manda seus discípulos (como israelitas) compararem esses sinais com o sinal que eles bem conheciam, o da figueira, indicando o verão logo ali.

 

 A vinda de Jesus, para Igreja (O arrebatamento):

Mateus 24:35-51

O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.
Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.
E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem.
Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento (Tudo normal. Nada de guerra, terremoto, etc.), até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.

Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;
Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.
Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor (Não há sinal para vocês).

Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.

Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis (PORQUE NÃO HÁ SINAIS).

Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?

Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.
Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;
E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,
Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe, e separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.

 

CONFIRA AINDA LUCAS 21, FICARÁ MUITO MAIS CLARO:

Lucas 21:5-19

A vinda de Jesus, para a igreja (O arrebatamento):

E, dizendo alguns a respeito do templo, que estava ornado de formosas pedras e dádivas, disse: Quanto a estas coisas que vedes, dias virão em que não se deixará pedra sobre pedra, que não seja derrubada.

E perguntaram-lhe, dizendo: Mestre, quando serão, pois, estas coisas? E que sinal haverá quando isto estiver para acontecer?

Disse então ele: Vede não vos enganem, porque virão muitos em meu nome, dizendo: Sou eu, e o tempo está próximo. Não vades, portanto, após eles.

E, quando ouvirdes de guerras e sedições, não vos assusteis. Porque é necessário que isto aconteça primeiro, mas o fim não será logo.

Então lhes disse: Levantar-se-á nação contra nação, e reino contra reino;

E haverá em vários lugares grandes terremotos, e fomes e pestilências; haverá também coisas espantosas, e grandes sinais do céu.

Mas antes de todas estas coisas lançarão mão de vós, e vos perseguirão, entregando-vos às sinagogas e às prisões, e conduzindo-vos à presença de reis e presidentes, por amor do meu nome. E vos acontecerá isto para testemunho.

Proponde, pois, em vossos corações não premeditar como haveis de responder; Porque eu vos darei boca e sabedoria a que não poderão resistir nem contradizer todos quantos se vos opuserem. E até pelos pais, e irmãos, e parentes, e amigos sereis entregues; e matarão alguns de vós.

E de todos sereis odiados por causa do meu nome. Mas não perecerá um único cabelo da vossa cabeça. Na vossa paciência possuí as vossas almas.

Desde a destruição de Jerusalém até ao Arrebatamento (… os tempos dos gentios se completem).

Lucas 21:20-24

Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação. Então, os que estiverem na Judéia, fujam para os montes; os que estiverem no meio da cidade, saiam; e os que nos campos não entrem nela.

Porque dias de vingança são estes, para que se cumpram todas as coisas que estão escritas.

Mas ai das grávidas, e das que criarem naqueles dias! porque haverá grande aperto na terra, e ira sobre este povo.

E cairão ao fio da espada, e para todas as nações serão levados cativos; e Jerusalém será pisada pelos gentios, até que os tempos dos gentios se completem.

 

A vinda de Jesus, para Israel – Na Tribulação:

Lucas 21:25-33

E haverá sinais no sol e na lua e nas estrelas; e na terra angústia das nações, em perplexidade pelo bramido do mar e das ondas. Homens desmaiando de terror, na expectação das coisas que sobrevirão ao mundo; porquanto as virtudes do céu serão abaladas.

E então verão vir o Filho do homem numa nuvem, com poder e grande glória.
Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima.

E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores; Quando já têm rebentado, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão.

Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto.

Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça. Passará o céu e a terra, mas as minhas palavras não hão de passar.

Estes sinais ocorrerão durante a tribulação. Pelo amor de Deus, deixem de compartilhar artigos de “sinais no céu, sol e lua que antecedem o arrebatamento”!!!

A parábola da figueira sempre foi explicada como a volta de Israel em 1948 ter sido o brotar da figueira – Se isso for verdade, Jesus terá que vir no ano que vem – Nessa geração: 70 anos tem uma geração, como ensinaram.

Mais dados históricos:

Terremotos e mortes:

27/09/1290 Chihli, China  100.000
23/01/1556 Shensi, China  800.000

Para a época, considerando a população do planeta, foram mais catastróficas de que qualquer outro desastre que se tenha notícia.

 

Guerras:

1ª Grande Guerra mundial:

– Mais de 70 países no conflito

– Cerca de 10 milhões de Soldados mortos e 20 milhões de feridos. Mais cerca de 70 milhões de civis, tendo sido o mais sangrento conflito da humanidade.

 

2ª Grande Guerra Mundial:

População: 2 300 000 000 Soldados: 25.500.000 Civís:                   58.500.000 Total: 85.000.000 Percentual: 3,07%

 

Pestes:

Varíola:

Antes dos europeus chegarem às américas a população era de 100 milhões de nativos. Durante os séculos que se seguiram, as doenças epidêmicas reduziram esse número para algo entre 5 e 10 milhões.

 

Gripe de 1918

Depois da 1ª guerra, uma pandemia mundial da chamada “gripe espanhola” deixou pelo menos 20 milhões de mortos na Europa.

 

Peste negra

Carroças cheias de cadáveres, famílias agonizantes isoladas, reis e camponeses implorando libertação – quando se trata de doenças epidêmicas, poucas têm imagens tão terríveis quanto a peste negra.

Considerada a primeira doença verdadeiramente pandêmica, a peste negra matou metade da população da Europa, em 1348, e dizimou partes da China e da Índia

 

Outras pestes:

Malária – Tuberculose – AIDS – Ebola – Poliomielite – Varíola – etc.

Estejam cingidos os vossos lombos, e acesas as vossas candeias. Sede vós semelhantes aos homens que esperam ao seu senhor. (Lc 12.35,36a)

“Ficai também vós apercebidos, porque, à hora em que não cuidais, o Filho do Homem virá” (Lc 12.40)

Por isso, ficai também vós apercebidos; porque, à hora que não cuidais, o Filho do Homem virá. (Mt 24.44)

A um Israel descrente, Cristo declarou: “Assim também vós: quando virdes todas estas coisas, sabei que está próximo, às portas” (Mt 24.33).

 Até o Anticristo saberá: “E vi a besta e os reis da terra, com os seus exércitos, congregados para pelejarem contra aquele que estava montado no cavalo e contra o Seu exército” (Ap 19.19).

 Mas, para o arrebatamento não há sinal.

 Ps.: Peço gentilmente que aquele que perceba equívoco em meus argumentos me avise para que saia da cegueira deles (Sem os “eu acho”. Mas, com “a bíblia diz”).

 

A (não) Depressão de Elias (Texto enviado à CPAD)

EliasCOMENTÁRIO DE UM PSICÓLOGO EM MINHA PUBLICAÇÃO ORIGINAL (01/2013) 

“Caro colega,e irmão:  Comungo do mesmo pensamento exposto acima acerca do profeta Elias. Sou Psicólogo clínico e professor da EBD. Jamais ensinarei que Elias esteve em depressão, pois não há dados suficientes nos textos bíblicos que apoiem tal ideia. Grato.”

 

Uma temática que vem permeando algumas lições de Escola Bíblica Dominical – EBD nos últimos anos, da qual humildemente (se é que há em mim alguma humildade) quero manifestar minha discordância, é a afirmação de que Elias estaria em depressão no evento do capítulo 19 de I Reis.

Inicialmente, falarei um pouco do que se conhece (ou se desconhece) sobre depressão e, depois, dos argumentos porque não acredito num quadro de depressão na vida de Elias.

 

DEPRESSÃO  

Clinicamente, a única afirmação exata sobre o tema é que não se sabe a causa, nem existe cura, mas em face de uma série de evidências que mostram alterações químicas no cérebro do indivíduo deprimido, principalmente com relação aos neurotransmissores (serotonina, noradrenalina e, em menor proporção, dopamina), substâncias que transmitem impulsos nervosos entre as células e outros processos que ocorrem dentro das células nervosas, os quais também estão envolvidos, a medicina desenvolveu certos tratamentos para atenuar os efeitos e que podem até ajudar no desaparecimento da doença.

Todavia, não se sabe a causa e, consequentemente, não se tem a cura. Eles dizem que a cura depende apenas da pessoa.

Ao contrário do que normalmente se pensa, os fatores psicológicos e sociais, muitas vezes, são consequência e não causa da depressão.

É verdade que o estresse pode precipitar a depressão em pessoas com predisposição, que provavelmente é genética.

A depressão não é simplesmente um momento de tristeza, algo normal para todas as pessoas. É um estado que realmente interfere no próprio organismo e nas relações do indivíduo com o trabalho, lazer e família.

Sintomas  mais comuns:

  Sentimentos persistentes de tristeza, angústia ou de vazio.

  Perda de interesse ou prazer nas atividades, incluindo sexo.

  Sentimentos de culpa, desesperança ou pessimismo.

  Irritabilidade ou perda de paciência.

  Cansaço, fadiga ou falta de energia.

  Dificuldades de concentração ou para lembra de pequenos detalhes.

  Dificuldade de tomar decisões, insegurança.

  Insônia, sono fragmentado ou sono não restaurador.

  Sonolência diurna.

  Excesso ou redução do apetite.

  Pensamentos sobre suicido.

  Dores persistentes que não melhoram com o tratamento. Incluindo dores de cabeça, pelo corpo e no estômago.

PORQUE DISCORDO DESTA ALEGAÇÃO

Aqui, quero destacar que, além de estudar bastante o tema, pois também tive que aprender muito sobre o assunto para ajudar dependentes químicos, tenho experiências diretas com pessoas depressivas. Por esta razão, citei, no início da mensagem, minha atividade profissional junto ao INSS, onde atendi, durante quatro anos, inúmeras pessoas com este problema.

Também, no período em que fui pastor de igreja em São Paulo, tive que tratar muito de perto com um caso de depressão profunda acompanhada de síndrome do pânico, no qual tive que levar a pessoa para morar em minha casa (ela voltou à vida normal), visto que verificava muitos erros da parte das pessoas que tentavam ajudar. Inclusive dos médicos (Não me aterei a explicar este ponto).

Quanto a Elias, é verdade que apresentou um, ou podemos considerar  até mais, dos sintomas da depressão, como desânimo e até o desejo de morrer, mas daí a afirmar que o mesmo estava em depressão é, para mim, dizer o que a bíblia não diz.

Na verdade, entendo que que Elias e qualquer crente, seja ele simples membro ou pastor podem chegar a um quadro de depressão. A bíblia afirma que Elias era homem SUJEITO às mesmas emoções que nós, mas não acometido de nenhuma emoção pela qual possamos qualificá-lo como depressivo.

Na prática, as pessoas ficam depressivas por causas físicas, por exemplo um acidente que causa imediato desequilíbrio hormonal no cérebro, por causas sociais, como grandes e inesperadas perdas, contínuo e duradouro processo de dificuldades (estresse) que causam o mesmo desequilíbrio e, como aprendi na experiência de cristão pentecostal e conhecedor das astúcias do adversário, por causas espirituais, quando os demônios, geralmente se aproveitando das vulnerabilidades sociais já citadas e de confusões doutrinárias sobre espiritualidade, atuam sobre mentes fracas.

A versão Almeida Corrigida Revisada e Fiel ao Original – ACF diz, nos versículos 3 e 4 do capítulo 19 de Reis:

“3 O que vendo ele, se levantou e, para escapar com vida, se foi, e chegando a Berseba, que é de Judá, deixou ali o seu servo.”

“4 Ele, porém, foi ao deserto, caminho de um dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e pediu para si a morte, e disse: Já basta, ó SENHOR; toma agora a minha vida, pois não sou melhor do que meus pais.”

Citei o versículo 3 porque entendo que o que ocorreu com Elias é que a mensagem de Jezabel transtornou sua visão espiritual. Porque alguém lhe falou, porém ele não ouviu, mas VIU o que ela disse (…o que vendo ele…)

Ora, Moisés também pediu a morte, Nm 11.15,  desejou não só estar morto, mas nunca ter vivido, Jo 3. 1-22; 7. 15-16, e Jonas, depois de fazer toda uma cidade se converter, pediu a Deus que lhe tirasse a vida, Jn 4. 3;8. Em nenhum destes casos diria eu que eles estavam em depressão porque não estavam.

Eu mesmo, em certo tempo de extrema dificuldade para mim e meus filhos cheguei a dizer a Deus que seria melhor que partisse, pois, além de deixar esse mundo de injustiças para estar com Ele, deixaria minha família amparada por uma pensão. E, acredite, não estava depressivo.

Elias, estava desanimado, angustiado e cheio de dúvidas. Ameaçado de morte, foge da terrível Jezabel e refugia-se no deserto, embaixo de um pé de zimbro, pedindo a morte.

Ele preferia ser morto por Deus, a ser entregue a uma ímpia. Elias, havia presenciado a morte, de muitos profetas, não esperava, contudo, que sua vez chegaria. Afinal, ele era amigo de Deus, com muitas promessas a serem realizadas.

Em Filipenses 1.23, Paulo diz que tem “desejo de partir”. Partir aqui não é numa viagem missionária, é desejo de morrer. Acaso estaria ele em depressão?

Depois destes argumentos bíblicos, e partindo para a conclusão, quero explicar a razão de minha irresignação com o fato desta afirmativa a cerca de Elias  permear, constantemente, nossas lições.

Ocorre que tenho encontrado, em muitas igrejas por onde já passei, várias pessoas depressivas, O motivo é sempre de cunho emocional e fortalecido por um fundo espiritual, o qual geralmente ocorre pela má compreensão ou confusão doutrinária e as vezes acompanhada de uma ação demoníaca.

Com a quase ausência de bom ensino doutrinário na maioria de nossos púlpitos, e não possuindo a medicina cura para a depressão, fica muito difícil para estas pessoas saírem dessa situação e estas chances diminuem quando uma delas escuta que Elias estava depressivo. Ressalto que se a bíblia dissesse isso não recearia em dizer também, mas ela não diz.

Portanto, finalizando este extenso texto, quero “data vênia” solicitar sejam reanalisados os assuntos ventilados e, caso não esteja este servo equivocado, que não sejam mais publicados.

Seria pedir muito, mas gostaria que fosse analisado por todos os comentaristas que citaram, já numas três ou quatro lições, contando esta, que Elias teve depressão neste episódio.

Por último, caso os argumentos aqui vergastados não sejam julgados suficientes, sugiro que os comentaristas procurem uma clinica psiquiátrica e conheçam pessoas em depressão, que é algo totalmente diferente de alguém triste, abatido e desanimado por algum motivo.

Pb. Haroldo de Sousa – Professor da EBD

Pequena Reflexão Sobre a Música Raridade

Lembremo-nos, inicialmente, que somos amados de Deus, mas todo e qualquer louvor por isso reside nEle mesmo.

Seremos algo extraordinário, mas “…ainda não é manifestado o que havemos de ser (I Jo 3).

Consideremos, também, o que diz Isaias sobre a possibilidade de pessoas tornarem-se “cegas” por causa do pecado e impossibilitadas de “ler o Livro”:

“Tardai, e maravilhai-vos, folgai, e clamai; bêbados estão, mas não de vinho, andam titubeando, mas não de bebida forte.

Porque o Senhor derramou sobre vós um espírito de profundo sono [consequência do pecado], e fechou os vossos olhos, vendou os profetas, e os vossos principais videntes.

Por isso toda a visão vos é como as palavras de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não posso, porque está selado.

Ou dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não sei ler.”

 

Passemos à música, então:

 

Não consigo ir além do teu olhar

Tudo o que eu consigo é imaginar

A riqueza que existe dentro de você

O ouro eu consigo só admirar

Mas te olhando eu posso a Deus adorar

Sua alma é um bem que nunca envelhecerá

 

Até aqui, considerando que ela fosse cantada para um crente muito fiel, não deixaria de ser meia- verdade, mas peca no “louvor” ao ser humano como indivíduo. Em lugar algum da bíblia se achará isso. Ao contrário, muito ao contrário: qualquer que não estiver em muita comunhão com Deus, está em inimizade com Ele e é desprezível aos seus olhos.

Quando Paulo fala que temos um tesouro (Cristo resplandecendo em nós – 2 Co 4.6-7) ele diz que o vaso (eu, o indivíduo) é de barro porque a excelência do poder é de Deus, NÃO de nós.

O pecado não consegue esconder

A marca de Jesus que existe em você

O que você fez ou deixou de fazer

Não mudou o início, Deus escolheu você

 

Nessa parte, uma total apologia ao pecado. Um incentivo a pecar, dizendo que ele não tem consequência nenhuma. Como pode tal barbaridade?

É como se não houvesse não precisasse haver aversão nenhuma ao pecado.

Mesmo que possamos desfrutar sim da graça e perdão de Cristo, o preço foi gigante. A terra tremeu, o sol se escureceu pelo sofrimento e dor do Justo.

Como vamos cantar a insignificância do pecar?

Olhemos o que o irmão do Senhor diz: “E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne.”  Jd 23.

 

Sua raridade não está naquilo que você possui

Ou que sabe fazer

Isso é mistério de Deus com Você

 

Como disse inicialmente, “somos realmente muito amados por Deus ” aqueles que aceitam seu sacrifício. Deus NÃO ama o pecador!!

Ele nos amou primeiro porque, na sua presciência, soube que alguns de seus inimigos aceitariam seu perdão. Do contrário, não enviaria seu filho sem objetivo (Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo – I Pe 1:2)

 

Você é um espelho que reflete a imagem do Senhor

 

O texto bíblico (II Co 3:18) se refere a nós “refletindo como um espelho a GLÓRIA do Senhor” (Não a imagem) e traz como objetivo uma transformação contínua que, diga-se de passagem, é interrompida pelo pecado tão menosprezado na letra da música.

 

Não chore se o mundo ainda não notou

 

Cristão “chorando porque o mundo AINDA não notou” que ele é precioso?

 

Olhem o que a bíblia diz em Jo 1:10 e15:18-19:

“Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.”

“Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.”

Dispensa comentários.

 

Já é o bastante Deus reconhecer o seu valor

Você é precioso, mais raro que o ouro puro de ofir

Se alguém pretende ser mais precioso e raro que o ouro de Ofir, aguarde pela tribulação, cantando músicas que vituperam e contradizem a palavra de Deus.

Isaias 13:9-12:

 

Eis que vem o dia do Senhor, horrendo, com furor e ira ardente, para pôr a terra em assolação, e dela destruir os pecadores.

         Porque as estrelas dos céus e as suas constelações não darão a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não resplandecerá com a sua luz.

E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniqüidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos.

Farei que o homem seja mais precioso do que o ouro puro, e mais raro do que o ouro fino de Ofir.

 

Se você desistiu, Deus não vai desistir

Ele está aqui pra te levantar se o mundo te fizer cair

O que você disse? What did you say? Was sagen? Que dire? II Cr 15:1-4:

Então veio o Espírito de Deus sobre Azarias, filho de Odede.

E saiu ao encontro de Asa, e disse-lhe: Ouvi-me, Asa, e todo o Judá e Benjamim: O Senhor está convosco, enquanto vós estais com ele, e, se o buscardes, o achareis; porém, se o deixardes, vos deixará.

E Israel esteve por muitos dias sem o verdadeiro Deus, e sem sacerdote que o ensinasse, e sem lei.

Mas quando na sua angústia voltaram para o Senhor Deus de Israel, e o buscaram, o acharam.

 

Se quiserdes, ouçam o que vos diz a bíblia sagrada, não eu.

Deixai de cantar auto justificação aos pecados, confessai ao Senhor e buscai-o, pois, assim, o acharão. Do contrário, continuareis cantando músicas feitas por cegos iguais aos que Isaias profetizou, os quais “não sabem ler o Livro”.

 

Ps: Por mais “escandaloso” que possa parecer a alguns, há músicas que não tem nenhuma pretensão de ser intitulada cristã (chamamos de música do mundo) , mas que não “atentam” contra a palavra de Deus. Sobre isso pretendo discorrer em um próximo post.

Falemos, pois, de Melquisedeque, Rei de Justiça

Francisco Haroldo de Sousa
Presbítero e professor da EBD da
Assembleia de Deus em Santo Ângelo – RS.

 

melquisedequePara compreendermos o sacerdócio desse homem que prefigurou o de Cristo, precisamos conhecer algumas coisas sobre sacerdotes na bíblia.

Uma passagem reveladora sobre os “sacerdócios”, em todo o lapso temporal bíblico, é Lucas 10. 30-35, a famosa Parábola do Samaritano.

Nesta parábola, além das muitas outras lições que nos fornece, Jesus contextualiza a história do resgate do ser humano perdido (o homem que “desce” da benção – Jerusalém – à maldição – Jericó) em três momentos distintos, sendo que em dois deles sem resultado.

O primeiro a passar pelo homem foi um “certo sacerdote”, o segundo “um levita” e, o terceiro, um samaritano (indiscutível figura de Jesus).

Ao dizer um “certo” sacerdote, Jesus estava se referindo a um sacerdote não aarônico. Por isso não diz “um sacerdote”. Este soaria aos judeus como um sacerdote do templo de Israel, mas aquele não.

Assim, nesta parábola Jesus revela três “momentos sacerdóticos”: um antes da lei (certo sacerdote), o da lei (um levita) e o seu.

Bem, você já deve estar imaginando: até onde vai chegar essa heresia? (Risos meus)

Paulo também “divide” a história do relacionamento do homem com Deus em três “momentos” (Rm 5.13-14): De Adão até Moisés, de Moisés até Jesus, sendo este o terceiro período, no qual vivemos.

Bem, mas me propus a falar de Melquisedeque e o que tudo isso tem a ver com ele?

É que, quando pesquisamos sobre Melquisedeque, pela má leitura de alguns versículos muitos comentaristas disparam em explicações místicas, dizendo que este sacerdote era Deus, Jesus, um anjo, etc.

Nada disso faz sentido. A bíblia, como em tudo que Deus pretende nos revelar sobre ela, explica a “origem” de tal sacerdócio ou qual a “ordem” sacerdotal.

Hebreus 7.15-17 diz:

“E muito mais manifesto é ainda, se à semelhança de Melquisedeque se levantar outro sacerdote, que não foi feito segundo a lei do mandamento carnal, mas segundo a virtude da vida incorruptível.”

“Porque ele assim testifica: Tu és sacerdote eternamente, segundo a ordem de Melquisedeque.”

Ora, todo o contexto deste capítulo gira em torno da explicação de que Cristo é sacerdote não segundo a ordem levítica, ou seja, pelo simples fato de ser descendente de Arão, mas, à semelhança de Melquisedeque, “segundo a virtude da vida incorruptível”.

Fique claro aqui que o sacerdócio de Cristo é da “ordem” de Melquisedeque, mas superior, pois “nos convinha tal sumo sacerdote, santo, inocente, imaculado, separado dos pecadores, e feito mais sublime do que os céus – Cristo”.

A bíblia mostra que haviam outros sacerdotes que eram homens de Deus, como no caso de Jetro, sogro de Moisés, que era sacerdote em Midiã (Ex 3.1).

A bíblia revela homens oferecendo sacrifícios e intercedendo a Deus por si mesmo e pelos outros, como Abraão (Gn 20.17), Jó (Jó 1.5), etc. No modo anterior à lei, isso era “sacerdócio”, sendo que, Melquisedeque, nessa mesma “ordem”, rei em Salem (cidade da paz) e obtendo testemunho de que era justo, foi “por interpretação rei de paz e de justiça” (Hb 7.2).

Outro exemplo de sacerdote que, pelas qualidades que a bíblia relata, foi de Deus, e não pagão, é Jetro. Ele era sacerdote na “Terra de Midiã”. Este é era o quarto filho de Abraão com Quetura, sua segunda esposa. Lembre-se que Mirian e Arão erraram feio quando acusaram Moisés de ser casado com alguém que não era da descendência de Abraão.

E por que acredito que Jetro era sacerdote de Deus? Porque, era da mesma “ordem” de Melquisedeque, que é a de Cristo: “segundo a virtude da vida incorruptível”.

Vejamos o que o livro de Êxodo revela sobre a vida desse sacerdote:

2.1; 3.1; 18.1-12 – Sacerdote e homem religioso;

Especialmente 18.12: Então Jetro, o sogro de Moisés, tomou holocausto e sacrifícios para Deus; e veio Arão, e todos os anciãos de Israel, para comerem pão com o sogro de Moisés diante de Deus.

2.16; 17.1-7 – Homem de família;

2.16-3.1 – Homem abastado e íntegro;

2.18; 18.1-12 – Homem observador;

2.20 – Homem hospitaleiro;

2.20; 18.1-12 – Homem apreciativo e compreensivo;

2.21; 18.1-12 – Um bom homem de negócios;

4.18; 18.1-12 – Um homem que amava a paz;

18.1-12 – Um homem tolerante e generoso;

18.13-27 – Um homem sábio.

Portanto irmãos, entendo que haviam sacerdócios anteriores à lei e que sejam estas, de Jetro, além daquelas relatadas sobre Melquisedeque, algumas das características de um sacerdote “segundo a ordem de Melquisedeque”, o qual conquista seu sacerdócio “segundo a virtude da vida incorruptível” (Hb 7.15).

Busquemos, pois, como sacerdotes reais, um caráter tal qual o de Melquisedeque, para que sejamos de justiça e paz, pois sem aquela não existe essa. Amém!

 

Referências:

Pr. Luciano Subirá – Mensagem o Espírito Santo em nós (23:48 a 35:00)

https://www.youtube.com/watch?v=OoiYnrAXiTM

Bíblia de Estudo Dake – Dez maravilhosas características de Jetro, pg 165.

Da síndrome de Maria do Rosário e do fórum inadequado

bandido8

Do absurdo equívoco

Ao assistir, ontem, uma reportagem que muito me indignou, fiquei a meditar o que levaria uma pessoa a agir como a moça que interveio em favor do bandido e em detrimento da segurança de seu namorado e a própria.

No episódio, o PM André Monteiro dos Santos, de 22 anos, e sua namorada foram abordados em seu carro por dois bandidos em uma moto. Eles anunciaram o assalto, e um deles portava uma faca.

Por instinto de sobrevivência e por seu dever de ofício, o PM sacou a arma para se proteger, mas sua namorada o abraçou e o impediu de atirar.

Ousado, o assaltante esfaqueou o PM no braço, derrubando sua pistola. O bandido aproveitou o deslize para usar a arma do PM e atirar contra ele 14 vezes, o qual não resistiu e morreu no local.

Os bandidos também atiraram contra a namorada de Santos, mas não conseguiram acertá-la com a única bala que restou na arma.

Da Possível Justificativa

Não sai da minha cabeça que a atitude da moça seja decorrente da insistente ideologia que procura arrematar adeptos em todo e qualquer grupo que, de alguma forma, contribua à destruição dos valores que combate.

Um desses grupos são os delinquentes das diversas categorias: homicidas, estupradores, pedófilos, pichadores, assaltantes, etc.

A grande pregoeira dessa “causa” é Maria do Rosário, deputada federal pelo RS. Ela esbraveja contra tudo e qualquer coisa que seja impor aos criminosos as penas por suas ações.

Rosário, a exemplo da namorada do PM, se “posiciona” sempre entre a vítima (sociedade) e o bandido, tentando impedir a aplicação da sanção.

Coloquei a “posiciona” entre aspas, pois seu posicionamento é apenas ideológico, visto que faz suas “defesas” da confortável segurança do congresso, de dentro de seus blindados e do abrigo da segurança privada de seu condomínio, etc.

Na prática, todos os dias, policiais, agentes penitenciários e outros profissionais que representam a ordem e a proteção da sociedade são assassinados pelo simples fatos de exercerem esse ofício.

Como alguém, em sã consciência, senão iludido por tal ideologia, pode imaginar que um bandido poupará a vida de um policial? Especialmente, alguém que é íntimo desse e sabe de todos os seus esforços, caráter, preparo e treinamento?

Ninguém se iluda, como essa jovem, pensando que a vida real seja fórum adequado para defesa de bandido. Ela só possível àqueles que vivem regalada e protegidamente às custas do trabalho  e suor do cidadão que é potencialmente uma vítima a todo instante.

E não seja incoerente em defendê-los daquilo que nem mesmo eles buscam defesa, pois os tais proclamam quase que diariamente que conhecem a “sentença” que, mais cedo ou mais tarde, cumprirão como resultado do caminho escolhido: cadeia ou cemitério.

Não existe “bandido bom”. Existe aquele que recebe a justa retribuição de seus atos, a qual conhece e proclama de antemão.

O que diz a Bíblia

Quando falamos de pena de morte, em relação à bíblia, parece-nos que Deus a instituiu, ou seja, ela não existia até que Deus determinou quem, porque e como seriam mortos que cometesse tais e tais transgressões.

Na verdade, muitas civilizações já praticavam a pena de morte estabelecida pelo rei e, entre cidadãos, era a lei da selva: quem podia mais sobrevivia.

Quando deu os dez mandamentos, Deus estabeleceu: Não matarás!!

Essa é a regra para todo ser humano (lembremos que a lei foi dada a Israel, mas TODOS estão sob a lei – exceto os que aceitarem a graça – GL 3:22; 4:5, Rm 6:14, etc.

Israel recebeu a lei para ser sacerdote de Deus às nações. Se Israel obedecesse a Lei, viveria bem e chamaria a atenção das nações, como exemplo a ser seguido (como, a exemplo, no início do reino de Salomão) Is 42:6-8.

Todas aquelas ordenanças sobre alimentos, por exemplo, era pra que Israel fosse mais saudável que outros povos.

Quando Deus estabeleceu as exceções em que alguém deveria ser morto, não estava instituindo a pena de morte, mas regulando o que já existia.

Nas relações individuais, o homem só poderia matar em legítima defesa ou em vingança à morte de um parente (se o homicida fosse pego antes de chegar às cidades de refúgio Nm 35:6). Mas o refugiado tinha que, de fato, ser inocente porque seria julgado pelo sacerdote e poderia ser condenado à morte.

A legislação brasileira, até não muito tempo atrás, permitia a morte por legítima defesa da honra (vingança).

Com o advento de Cristo é chegada a “vontade perfeita de Deus” (Jo 1:18) e Jesus nos proíbe até de odiar, sendo isso condenável no mesmo nível do homicídio.

Porém, apesar de sermos orientados a não resistir ao mal com o mal, continuo crendo que uma pessoa que matar outro em legítima defesa (própria ou de terceiros) não é condenável diante de Deus.

Inclusive, disse Paulo, as autoridades “não trazem debalde a espada”, mas são “um terror” para os malfeitores (Rm 13:1-4). Assim, qualquer que está “autorizado”, ou seja, tem autoridade, pode usar uma arma em legítima defesa.

Concluindo, o cristianismo não condiz com a pena de morte: Aquele caso em que o Estado condene alguém por um crime e que a pena seja de morte. Até porque devemos exercer a longanimidade de Deus (outro fruto do Espírito), o qual espera por muito tempo que o ímpio se arrependa (Ez 33:11).

Se alguém não toma a bíblia por regra de fé e vida, como nós, meu argumento é de que o Estado só pode tirar do indivíduo aquilo que também pode oferecer-lhe, como no caso da liberdade.

Assim, não condiz com o espírito cristão a concordância na morte em qualquer circunstância. Ressalvada a legítima defesa própria ou de terceiros, esgotados todos os demais meios.

Pequena Reflexão Sobre a Música Raridade

Lembremo-nos, inicialmente, que somos amados de Deus, mas todo e qualquer louvor por isso reside nEle mesmo. Além disso, seremos algo extraordinário, mas “…ainda não é manifestado o que havemos de ser (I Jo 3).

Consideremos, também, o que diz Isaias (29:9-12) sobre a possibilidade de pessoas tornarem-se “cegas” por causa do pecado e impossibilitadas de “ler o Livro”:

“Tardai, e maravilhai-vos, folgai, e clamai; bêbados estão, mas não de vinho, andam titubeando, mas não de bebida forte.

Porque o Senhor derramou sobre vós um espírito de profundo sono [consequência do pecado], e fechou os vossos olhos, vendou os profetas, e os vossos principais videntes.

 Por isso toda a visão vos é como as palavras de um livro selado que se dá ao que sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não posso, porque está selado.

Ou dá-se o livro ao que não sabe ler, dizendo: Lê isto, peço-te; e ele dirá: Não sei ler.”

Passemos à música, então: tirando-a-venda

Não consigo ir além do teu olhar / Tudo o que eu consigo é imaginar / A riqueza que existe dentro de você / O ouro eu consigo só admirar / Mas te olhando eu posso a Deus adorar / Sua alma é um bem que nunca envelhecerá

Até aqui, considerando que ela fosse cantada para um crente muito fiel, não deixaria de ser meia- verdade, mas peca no “louvor” ao ser humano como indivíduo. Em lugar algum da bíblia se achará isso. Ao contrário, muito ao contrário: qualquer que não estiver em muita comunhão com Deus, está em inimizade com Ele e é desprezível aos seus olhos.

O antropocentrismo é explícito, como em quase todas essas músicas que têm pretensão ser louvor a Deus, mas não conseguem colocá-lo no centro (Teocentrismo).

Quando Paulo fala que temos um tesouro (Cristo resplandecendo em nós – 2 Co 4.6-7) ele diz que o vaso (eu, o indivíduo) é de barro porque a excelência do poder é de Deus, NÃO de nós.

O pecado não consegue esconder / A marca de Jesus que existe em você / O que você fez ou deixou de fazer / Não mudou o início, Deus escolheu você

 Nessa parte, uma total apologia ao pecado. Um incentivo a pecar, dizendo que ele não tem consequência nenhuma. Como pode tal barbaridade?

É como se não precisasse haver aversão nenhuma ao pecado.

Mesmo que possamos desfrutar sim da graça e perdão de Cristo, o preço foi gigante. A terra tremeu, o sol se escureceu pelo sofrimento e dor do Justo.

Paulo diz:  Éramos “mortos em nossos delitos e pecados” (Ef 2:1)

Olhemos o que o irmão do Senhor diz: “E salvai alguns com temor, arrebatando-os do fogo, odiando até a túnica manchada da carne.”  Jd 23.

Como cantaremos uma insignificância do pecar?

Sua raridade não está naquilo que você possui / Ou que sabe fazer / Isso é mistério de Deus com Você

Como disse inicialmente, “somos realmente muito amados por Deus”, aqueles que aceitam seu sacrifício. Deus NÃO ama o pecador!!

Ele nos amou primeiro porque, na sua presciência, soube que alguns de seus inimigos aceitariam seu perdão. Do contrário, não enviaria seu filho sem objetivo (Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo – I Pe 1:2)

Você é um espelho que reflete a imagem do Senhor

O texto bíblico (II Co 3:18) se refere a nós “refletindo como um espelho a GLÓRIA do Senhor” (Não a imagem) e traz como objetivo uma transformação contínua que, diga-se de passagem, é interrompida pelo pecado tão menosprezado na letra da música.

Não chore se o mundo ainda não notou

Cristão “chorando porque o mundo AINDA não notou” que ele é precioso?

Olhem o que a bíblia diz em Jo 1:10 e15:18-19:

“Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu.”

“Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia.”

Dispensa comentários.

Já é o bastante Deus reconhecer o seu valor / Você é precioso, mais raro que o ouro puro de ofir

Se alguém pretende ser mais precioso e raro que o ouro de Ofir, aguarde pela tribulação, cantando músicas que vituperam e contradizem a palavra de Deus.

Isaias 13:9-12:

Eis que vem o dia do Senhor, horrendo, com furor e ira ardente, para pôr a terra em assolação, e dela destruir os pecadores.

Porque as estrelas dos céus e as suas constelações não darão a sua luz; o sol se escurecerá ao nascer, e a lua não resplandecerá com a sua luz.

E visitarei sobre o mundo a maldade, e sobre os ímpios a sua iniqüidade; e farei cessar a arrogância dos atrevidos, e abaterei a soberba dos tiranos.

Farei que o homem seja mais precioso do que o ouro puro, e mais raro do que o ouro fino de Ofir.

Se você desistiu, Deus não vai desistir / Ele está aqui pra te levantar se o mundo te fizer cair

 O que você disse? What did you say? Was sagen? Que dire? 

II Cr 15:1-4: 

Então veio o Espírito de Deus sobre Azarias, filho de Odede.

E saiu ao encontro de Asa, e disse-lhe: Ouvi-me, Asa, e todo o Judá e Benjamim: O Senhor está convosco, enquanto vós estais com ele, e, se o buscardes, o achareis; porém, se o deixardes, vos deixará.

E Israel esteve por muitos dias sem o verdadeiro Deus, e sem sacerdote que o ensinasse, e sem lei.

Mas quando na sua angústia voltaram para o Senhor Deus de Israel, e o buscaram, o acharam.

Se quiserdes, ouçam o que vos diz a bíblia sagrada, não eu.

Deixai de cantar auto justificação aos pecados, confessai ao Senhor e buscai-o, pois, assim, o acharão. Do contrário, continuareis cantando músicas feitas por cegos iguais aos que Isaias profetizou, os quais “não sabem ler o Livro”.

   Pb. Haroldo de Sousa

Ps: Por mais “escandaloso” que possa parecer a alguns, há músicas que não tem nenhuma pretensão de ser intitulada cristã (chamamos de música do mundo) , mas que não “atentam” contra a palavra de Deus. Sobre isso pretendo discorrer em um próximo post.